compulsão alimentar

Saiba tudo sobre a compulsão alimentar e como tratá-la

O que você vai ler neste post

Muitas pessoas sofrem da compulsão alimentar atualmente. Mas porque esse problema tornou-se tão comum? Fica a impressão de que essa doença de cunho psicológico é mais recorrente agora do que em décadas passadas.

São diversas as causas da compulsão alimentar, mas todas derivam de nossa cultura atual. A todo o tempo, somos bombardeados por imagens de corpos perfeitos na televisão, nos sites e nas redes sociais. Os padrões de beleza são inatingíveis, até porque muitas das imagens são tratadas em computador e passam por filtros de edição

Por outro lado, estamos sempre expostos às propagandas, além da abundante oferta de alimentos coloridos, chamativos e saborosos, mas cheios de açúcar, sódio e carboidratos em excesso. As chamadas fast foods e as comidas industrializadas, em geral, são um dos maiores vilões do tratamento para compulsão alimentar.

Além da questão estética e alimentar, é preciso abordar a questão emocional, pois a compulsão alimentar mora nas emoções em descontrole. Por isso, não basta apenas fazer uma dieta para se livrar desse mal.

Por mais que a perda de peso seja um objetivo, o maior deles ainda é ter uma mente saudável e qualidade de vida que reflita esse estado de espírito.

Mas a boa notícia é que existe tratamento para compulsão alimentar. Apesar desse mal fazer parecer ser imbatível, existe uma série de hábitos que podem ser adotados, além de uma suplementação natural que ajudará a potencializar todos os seus esforços.

Confira a seguir quais são as causas da compulsão alimentar e como evitar ter esse problema. Veja também o que pode ser feito para reconquistar um relacionamento saudável com a comida através de alimentos saborosos, saudáveis e uma suplementação nutritiva e totalmente natural!

 

Possíveis causas que geram a compulsão por comida

É comum que as pessoas que sofrem de compulsão alimentar se culpem por isso, afinal, quando a compulsão se manifesta é praticamente impossível controlá-la. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 5% das pessoas em todo o planeta Terra sofrem desse mal. Só no Brasil, estima-se que atualmente 10 milhões de pessoas tenham compulsão por comida.

Embora os problemas emocionais de cada um tenham origens diversas, em muitos casos se manifestam em forma de compulsão alimentar. De modo a tratar dessa doença e chegar ao controle, ou até a cura, é preciso conhecer com intimidade o que a engatilhou em primeiro lugar.

 

Estresse

O estresse em si, pode ter muitas causas. Em nossa sociedade atual, ele está associado com excesso de trabalho, além de problemas emocionais não resolvidos.

Com capacidade de se manifestar em diversos sintomas físicos, como insônia, perda de cabelo, manchas na pele, cansaço e até dores no corpo, o estresse pode engatilhar uma compulsão por alimentos, especialmente os processados.

Pessoas que sofrem de estresse estão em um estado constante de dor emocional e, por vezes, somada a ansiedade. Logo, a comida vira uma fonte de alívio momentâneo, mas o problema é que esse sistema de compensação é proporcional ao estresse. Quanto maior o estresse, maior a chance dos episódios de compulsão serem mais intensos.

Se o estresse não é tratado, a tendência é que os episódios de compulsão se tornem mais frequentes, até se tornarem em um genuíno vício.

 

Problemas com a estética

O fator estético não pode ser ignorado. Hoje em dia, conquistar um corpo bonito é um desejo de homens e mulheres, embora ainda seja um problema mais feminino. Com os padrões de beleza cada vez mais inatingíveis, é comum as mulheres se compararem e disso resultar apenas frustração.

Essa incongruência entre o que se vê na mídia e o que se vive, causa baixo autoestima em muitas pessoas. O homem ou a mulher começa a perceber seu corpo como inadequado e passa a não gostar da própria imagem, e a consequência disso é uma tristeza constante, que gera novos problemas emocionais. Em vista da frustração, o que ocorre é o consumo excessivo de comida para se distanciar e distrair da dor.

Mais uma vez, a comida é vista como uma recompensa, sendo consumida como um entorpecente. É comum ver casos de pessoas que se esforçam na dieta e nos exercícios por um tempo, se frustram e por fim sofrem de episódios de compulsão alimentar. Esse ciclo se repete muitas vezes e perpetua o vício por comida não-saudável.

 

Problemas emocionais mais graves

Quando a causa da compulsão não é o estresse ou a visão estética que uma pessoa tem de si mesma, a questão emocional pode ser mais profunda. Traumas podem ocorrer em qualquer fase da vida e por algum motivo podem não ser resolvidos.

Quando isso acontece, o trauma faz com que a pessoa sofra, às vezes até sem saber do que se trata, e a comida serve para aliviar a dor ou para esquecer.

Mas, é possível realizar o tratamento para compulsão alimentar mesmo assim. Nesses casos mais graves, o ideal é buscar ajuda de um especialista, que possa fazer um acompanhamento a médio e longo prazo, como um psicólogo ou terapeuta.

Vale ressaltar que uma ajuda psicológica é uma pedida, tanto em casos de problemas emocionais mais graves, quanto em casos de visão estética e estresse.

 

Dieta realizada de forma errada

Esta causa relacionada a uma dieta pobre em nutrientes é uma das clássicas. Devido aos fatores já mencionados, em especial a questão estética, muitas pessoas recorrem às chamadas “dietas da moda”.

Esse fenômeno se repete principalmente na vida das mulheres, pois tradicionalmente, a pressão pela beleza atinge mais esse grupo.

Mesmo na época atual, em que o conhecimento sobre alimentação saudável está disponível online, muitas pessoas ainda recorrem às dietas milagrosas. Mas há um motivo para serem consideradas eficazes, elas fazem qualquer pessoa perder peso, mas pelos motivos errados. Na verdade, essas dietas partem de um déficit calórico baixíssimo, e como consequência uma baixa de nutrientes.

Além do risco de doenças pela falta de nutrição, o que dietas dessa natureza mais fazem é causar compulsão alimentar, pois quando uma pessoa fica muito tempo sem ingerir comida o suficiente, o corpo e a mente pedem por alimento, especialmente os calóricos, com açúcar e gordura, para reequilibrar a perda.

Quando a pessoa termina o regime, ou simplesmente desiste, a compulsão alimentar atua com força. A tendência é comer exageradamente por dias, semanas ou até mais tempo. No fim, os quilos perdidos são recuperados e uma relação nada saudável com a comida surge na vida dessa pessoa.

Se o hábito de fazer dietas inadequadas permanecer, a compulsão alimentar pode deixar de ser um episódio pontual e se tornar um problema constante. Mas existe ainda um problema relacionado às comidas hipercalóricas, gordurosas e açucaradas que são muito consumidas nos episódios de compulsão por alimentos após a realização de dietas muito restritivas.

Um estudo feito na década de 70, pelo cientista Anthony Sclafani, mostrou que as substâncias contidas em fast foods e alimentos processados, especialmente o açúcar refinado, viciam quem as ingere em abundância e com muita frequência.

Dessa forma, a compulsão ganha dois motivos principais: o fator emocional e a vontade de comer “besteira”, pois esse tipo de alimento foi feito para você pedir mais.

Existe ainda mais um fator que pode ser acrescentado: a falta de tempo. A vida é corrida para a maioria das pessoas, onde muitas ocasiões um prato preparado à mão é substituído por comida pronta, seja em delivery, congelada ou em uma embalagem aberta.

Tanto as dietas restritivas quanto os alimentos processados combinam em diversas circunstâncias para que a compulsão alimentar aconteça.

 

Como evitar a compulsão por comida

Da mesma forma que o problema nasce de uma série de questões emocionais que levam a vários maus hábitos, o tratamento para compulsão alimentar surge de conscientização e novos hábitos.

 

Não comer muito rápido

Uma vez mais, o estresse e a velocidade das atividades cotidianas respondem pelo mau hábito de comer rápido demais. Quando se ingere alimentos muito velozmente, o que acontece no corpo é uma digestão incompleta, mal feita.

Cada aspecto do sistema digestivo, inclusive o mental, deve ser visto em conjunto com todos os outros. Em episódios de compulsão, a mente de uma pessoa só deseja comer mais, e por isso não aproveita o sabor dos alimentos ou a textura. Quando não há uma experiência completa, o cérebro manda informações de que é preciso comer mais.

O simples ato de levar uns minutos a mais na degustação e mastigação pode acabar com a fome excessiva e trazer saciedade por muito tempo.

 

Comer alimentos ricos em fibras

Alimentos ricos em fibras são o oposto das fast foods e industrializados. Enquanto estes não saciam nunca, as fibras são ricas em nutrientes e conseguem trazer saciedade. Frutas e verduras, por exemplo, são riquíssimos em vitaminas e fibras.

Um aspecto importante das fibras é sua ação digestiva, pois atuam para o bom funcionamento do intestino. Como resultado, os inchaços abdominais acabam e a sensação de estar “cheio” perdura, o que contribui para diminuir a vontade de “atacar a geladeira”.

 

Beber água e não se alimentar de 3 em 3 horas

Além de manter o corpo hidratado e auxiliar no seu pleno funcionamento, o consumo diário de água cumpre um papel na sua mente. Ao invés de levantar para comer, substitua o alimento ruim por água e, gradualmente, “engane” o cérebro.

Talvez não seja possível fazer isso todas às vezes em que tiver compulsão, mas só de fazer algumas já dará resultado. Com o tempo, o hábito se torna mais intenso e mais fácil.

Permanecer muitas horas do dia sem comer pode levar o corpo a um estado de fome excessiva e, pelos mesmos motivos da dieta restritiva, fazer com que a pessoa coma muito e preferir alimentos ruins, quando finalmente decide se alimentar.

 

Praticar atividades físicas

Visto que o problema da compulsão alimentar está diretamente relacionado com o emocional, a atividade física é um excelente antídoto!

Já não é mais novidade que durante e após a prática de exercícios, o corpo libera hormônios, como a endorfina e a dopamina, que atuam para diminuir a sensação de dor e aumentar a sensação de prazer. Por isso, são tidos como verdadeiros remédios que nosso próprio corpo fabrica.

Para quem é sedentário, iniciar a prática de exercícios não é uma tarefa das mais fáceis, mas, é comprovadamente recompensadora. O exercício físico é uma forma de lutar contra a ansiedade, o estresse e até mesmo a depressão. É literalmente a injeção de energia que seu corpo e mente necessitam.

 

Suplementos que ajudam no tratamento da compulsão

Controlar a compulsão alimentar não é um feito que se consegue muito rapidamente. Mas é possível trazer mais leveza a essa jornada através de suplementos.

Como o seu nome sugere, os suplementos incrementam a reeducação alimentar, pois são riquíssimos em nutrientes e propriedades benéficas para o corpo. Muitas vezes, não é possível realizar aquela alimentação saudável diariamente, logo o suplemento entra em ação para que você não perca a oportunidade de estar bem nutrido.

Um corpo nutrido é uma das chaves do tratamento para compulsão alimentar, pois todos os sistemas começam a funcionar perfeitamente, desde o digestivo até o nervoso.

Outro ganho em relação aos suplementos naturais está no fato de simplesmente ser difícil mudar. Não é à toa que a compulsão alimentar é um assunto espinhoso, pois existem muitas variáveis envolvidas.

Tentar mudar a relação com a comida, com a percepção do próprio corpo e ainda por cima praticar exercícios constantemente é muito difícil, pois haverá dias difíceis em que você pode não querer se exercitar, ou sentir uma baixa de energia devido às questões emocionais.

Suplementos naturais, além de nutrir, também atuam oferecendo energia a mais para o corpo e mente. Desse jeito a jornada de tratamento para compulsão alimentar não apenas se torna possível, mas inteiramente agradável e compensadora, para reconquistar o bem-estar, a saúde mental e a qualidade de vida.

 

Chlorella Premium

Feito a partir da extração da Chlorella, que vem da clorofila, este suplemento conta com mais de 40 nutrientes e uma alta concentração de proteína em sua fórmula. Totalmente natural, ainda é composto das vitaminas C,D, E, B6 e B12, além de minerais como o potássio, o ferro e o zinco.

O poder de ação da Chlorella Premium é desintoxicar o corpo de forma gradual e eficaz, com melhora do sistema imunológico. Ademais, este suplemento atua para aumentar a energia do corpo, tirá-lo do estado de letargia e torná-lo apto à prática de exercícios.

A união dos nutrientes com o poder energizante torna este suplemento um aliado potente contra os maus hábitos causados pela compulsão alimentar.

 

Spirulina Premium

A Spirulina Premium é um suplemento muito particular, pois alia em seus efeitos a saciedade e a energia. Possui em sua concentração grandes quantidades de potássio,  triptofano, antioxidantes, magnésio, vitaminas do complexo B, ácido gamalinolênico e ferro.

Outro componente da Spirulina Premium é a fenilalanina, que é um aminoácido que atua em duas frentes. A primeira é a sensação de saciedade, essencial para lidar com a compulsão por alimentos, e a segunda é sua ação de fazer um gel no estômago, o que reduz o espaço para muita comida.

 

Chá Verde Premium

O que torna o Chá Verde Premium um suplemento poderoso é a sua concentração. Todos os benefícios de dez xícaras de chá-verde em uma dose diária!

Mas, afinal, qual é o poder do chá-verde? O chá-verde atua para a melhora do metabolismo, de forma que eleva o bom humor, a capacidade do sono e da memória, além de aumentar os níveis de energia do corpo.

O processo de composição do Chá Verde Premium extrai as folhas de chá por meio de pressões diferenciadas, não processos químicos. Não há nenhuma adição química às folhas de chá.

Agora que você já viu como funciona o tratamento para compulsão alimentar, bem como todos os suplementos que podem ajudar durante esse processo, o próximo passo é começar a pôr tudo em prática e restaurar a sua saúde!

 

Veja mais em nosso Blog!

NutriLife Caps
NutriLife Caps

Alcance o ápice da sua saúde através de nossos
SuperAlimentos Premiums

Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.