4 alimentos que envenenam seu intestino

4 alimentos que envenenam seu intestino

O que você vai ler neste post

Você sabia que existem alimentos que envenenam o seu intestino? Aos finais de semana as comidas mais pedidas são aquelas que trazem uma sensação de bem estar e de conforto, conhecidas como Comfort Food, ou então Junk Food, que na maioria das vezes são ricas em carboidratos, lipídios, sódio e açúcares.

Esses componentes são ideais para a liberação de dopamina no organismo, o que nos leva a uma sensação imediata de prazer. Apesar de conhecidamente fazerem mal à saúde, esses alimentos são viciantes e queridinhos de todos.

A indústria alimentícia se aproveitou e especializou-se nessas Fast Foods, que são as que mais liberam dopamina nos seres humanos. Afinal, a seleção natural (desta vez mercadológica) diz que só sobrevivem aqueles que produzirem comida gostosa. E as melhores são as mais calóricas, não é mesmo?

O resultado disso é o nível de adoecimento da população. Nos Estados Unidos, por exemplo, 70% da população está acima do peso, e o Brasil está indo pelo mesmo caminho.

Nos anos 70, quando o IBGE identificou pela primeira vez a média de peso dos brasileiros, 24% da população era considerada obesa. Hoje, esse índice foi para 50%. Além disso, a dieta atual tem aumentado as alergias e infecções alimentares da população.

Diante desses fatos, nos perguntamos se comer apenas alimentos naturais é o melhor para a saúde. E a resposta é: nem sempre! Neste artigo, você irá conferir alguns ingredientes conhecidos como saudáveis e inofensivos, mas que na verdade são alimentos que envenenam. Continue a leitura e confira.

Porque consumimos alimentos que envenenam aos poucos sem saber?

É normal pensarmos que os alimentos naturais são os melhores para a saúde, mas não é bem assim, muitos são alimentos que envenenam. Para que vegetais, verduras e frutas sejam vendidos por um preço competitivo, a lavoura utiliza muito fertilizante para que a produção seja de forma abundante.

Acontece que, muitos desses compostos químicos permanecem na comida mesmo após a sua limpeza e prejudicam a saúde. Ademais, os lençóis freáticos também são contaminados pelos fertilizantes, o que causa muitos problemas no ecossistema.

Porque consumimos alimentos que envenenam aos poucos sem saber
Fonte/Reprodução: original

A agropecuária originada de forma industrial também pode levar a problemas de saúde, já que a carne vendida nos supermercados está cheia de antibióticos. Esses medicamentos são adicionados à ração do animal a fim de que ele sobreviva aos confinamentos a que são forçados e à alimentação indigesta à base de ração e de suplementos.

O intuito é impedir a morte do animal, já que este tipo de nutrição causa inchaço no estômago. O fato é que esses antibióticos não matam todos os microrganismos e podem gerar mutações, que dão origem a superbactérias perigosas, principalmente se forem parar nas prateleiras dos mercados.

Não são raras as notícias de pessoas que foram infectadas com Salmonella, Escherichia Coli ou outras bactérias a partir da alimentação, mas elas podem ser fatais para os seres humanos.

Além disso, a agropecuária é responsável pela emissão de 33% dos gases-estufa do mundo. Em comparação, todos os meios de transporte existentes (carros, navios, aviões, etc.) emitem somente 14% dos gases.

Existem ainda alguns ingredientes que, se forem utilizados sem a preparação adequada, podem causar males, como falta de ar, náuseas, efeitos psicóticos e até a morte. Continue a leitura e conheça os alimentos que envenenam.

Noz-moscada, um delicioso tempero que pode ser prejudicial

Ela tem um sabor marcante e vai bem com várias preparações, como legumes refogados, receitas à base de leite, purês e doces, por exemplo. A gastronomia indiana ama esse ingrediente e ele representa o segredinho de várias receitas.

A noz-moscada tem vários compostos que fazem bem à saúde e podem ajudar a prevenir algumas doenças. No entanto, o seu consumo deve ser feito de forma moderada, pois reações adversas podem ser causadas por meio da ingestão excessiva deste tempero.

Veja as propriedades da noz moscada:

  • Antioxidante
  • Anti inflamatória
  • Aumenta a libido
  • Antibacteriana
  • Reduz fatores de risco para doenças cardíacas
  • Melhora o humor
  • Seu óleo é usado para tratar os sintomas da TPM
  • Controla os níveis de açúcar no sangue

Embora a noz-moscada faça bem quando consumida como tempero, se for ingerida altas doses pode causar alucinações, convulsões, batimentos cardíacos acelerados, náuseas e perda da coordenação muscular, por exemplo — entrando no quadro de alimentos que envenenam. Este quadro piora ainda mais caso ela seja administrada juntamente com medicamentos alucinógenos, o que pode levar à morte.

Isso acontece porque a noz-moscada tem os compostos miristicina e safrol, que são os responsáveis pelo quadro.

Segundo estudos, a intoxicação por noz-moscada aconteceu em pessoas que ingeriram 5 gramas do tempero, ou cerca de 1 a 2 mg por peso corporal. Além disso, uma pesquisa feita em camundongos descobriu ainda que tomar altas doses da especiaria por longo período de tempo leva a danos nos órgãos.

Mas, vale lembrar que esses efeitos nocivos foram relatados em pessoas que fizeram uso de altas doses da especiaria, principalmente misturada a drogas alucinógenas. Pequenas quantidades utilizadas na cozinha não causam perigo à saúde.

Ostra crua ou o afrodisíaco da morte

Muitas pessoas comem ostras cruas por conta de uma crença que diz que este tipo de alimento funciona como um afrodisíaco natural. Acontece que as ostras, assim como os outros moluscos, funcionam como filtros dos mares e podem absorver vírus, protozoários e bactérias, caso a água esteja contaminada, o que causa doenças caso ingeridas sem serem cozidas.

Febre, diarreia, náuseas, vômitos, cólicas abdominais e até a morte podem ser a causa principal de infecção por Vibrio Vulnificus, que pode estar presente em ostras cruas ou mal cozidas.

Por este motivo, é recomendável cozinhar bem este tipo de ingrediente. Além disso, a falta de higiene e armazenamento inadequado podem comprometer a sua qualidade, já que elas são muito perecíveis. Por isso, sempre confirme a sua procedência e o seu frescor.

Mandioca Brava, muito tóxica

Existem muitas variedades de mandioca no Brasil, entre elas está a de mesa (conhecida como mansa), que é a mais famosa, e a tipo indústria (chamada de brava), que é tóxica se for consumida sem receber o tratamento necessário.

A mandioca brava tem alta quantidade de ácido cianídrico (mais do que 100 mg/kg), que é muito tóxico para humanos e animais e causa problemas para a saúde, o que faz ela estar inserida entre os alimentos que envenenam. Entre os sintomas está a paralisia súbita das pernas.

Para que a mandioca do tipo indústria se torne comestível, é necessário que ela passe por um processo de desintoxicação. A partir daí, ela pode ser transformada em fécula, polvilho, farinha ou raspa.

Porém, os dois tipos são muito semelhantes, o que impossibilita de se descobrir somente a olho nu qual é a mandioca tóxica e qual é própria para o consumo. Para que o agricultor consiga saber qual é o seu tipo, há a necessidade de se fazer teste em laboratório que irá identificar se a raiz tem a toxina ou não.

Feijão Vermelho, nutritivo e nocivo se não bem preparado

Náusea, vômito e dor no estômago podem ser causados pela ingestão do feijão vermelho, um ingrediente natural, que pode causar efeitos desagradáveis. Isso se deve à presença do composto ácido fítico, que reduz a absorção de minerais, como o ferro e o cálcio, caracterizando o alimento como um dos alimentos que envenenam.

O feijão vermelho pode conter ainda toxinas que causam a doença conhecida como favismo em pessoas que não têm a enzima G6PD. Essa doença leva à anemia, devido à destruição dos glóbulos vermelhos. Além disso, açúcares presentes no feijão, que são conhecidos como oligossacarídeos, podem causar problemas intestinais, como flatulência, inchaço e dor abdominal.

Feijão Vermelho, nutritivo e nocivo se não bem preparado
Fonte/Reprodução: original

Todos esses quadros podem ser evitados com o cozimento correto desta oleaginosa. Basta deixar o feijão de molho em água durante 24 horas (trocando a água após 12h) para que as substâncias nocivas sejam eliminadas. Isso faz com que o feijão fique amolecido, o que ainda diminui o seu tempo de cozimento, o que leva a uma economia de tempo e de gás.

Percebe-se que para ter mais saúde, não basta ingerir apenas alimentos naturais, deve-se prestar atenção quanto a origem, armazenamento, frescor e tipo de ingrediente utilizado. Lembre-se que existem alimentos que envenenam, que exigem cuidados especiais na hora do seu consumo!

Chegue Rápido no Seu Peso Ideal

Pequenas mudanças no sua alimentação podem fazer uma baita diferença no seu peso e saúde ao longo de 30 dias.

Por exemplo, favorecer sua flora intestinal com certos alimentos pré bióticos pode fazer sua saciedade e queima de gordura trabalhar melhor…

Essa é uma das táticas do clube saudável para fazer você emagrecer de forma natural.

Aperte abaixo para conhecer:

> QUERO EMAGRECER NATURALMENTE <

NutriLife Caps
NutriLife Caps

Alcance o ápice da sua saúde através de nossos
SuperAlimentos Premiums

Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.