Rinite Não alérgica

Rinite Não alérgica: O que é, sintomas e possíveis causas

O que você vai ler neste post

Definido como um tipo de inflamação que afeta toda a mucosa da parte de dentro do nariz, a rinite não alérgica é uma doença que acomete grande parte da população. A rinite pode ser classificada como alérgica, uma doença de origem genética que está presente quando provocada por alguma alergia a pêlos, poeira, ácaros dentre outros fatores que estimulam o processo alérgico.

Outra classificação desta doença está em rinite não alérgica, provocada por certos estímulos que podem ser fora ou dentro do nosso corpo. Os sintomas são bem variados e, geralmente, são gripais e similares aos de um resfriado ou, até mesmo, da covid-19.

Por isso, é importante saber todos os sinais e os sintomas da rinite não alérgica, assim como seu tratamento e como diferenciá-la das outras doenças semelhantes. Seu tratamento varia muito e depende dos sintomas e da causa que desencadeia o quadro de inflamação da mucosa.

Quer saber mais sobre todos os sinais e os sintomas da rinite não alérgica, assim como seu tratamento e suas classificações, assim como diferenciar esta doença da nova covid-19 e de inúmeros outros resfriados? Confira o que preparamos para você!

 

O que é a rinite não alérgica

Podemos definir a rinite não alérgica como um quadro resultante de uma inflamação que ocorre na mucosa nasal, responsável por revestir a parte interna do nosso nariz. Diversos sintomas são comuns nesse caso, como congestionamento nasal, espirros, dores no nariz, dentre outros similares a um resfriado ou, até mesmo, aos sintomas da covid-19.

A rinite não alérgica é uma condição que vai estar presente para sempre com o indivíduo, e é causado por diversas etiologias diferentes, entretanto, não são provocadas por alergias e nem por poeira, ácaro ou semelhantes que estimulam um quadro alérgico no indivíduo.

Além de ser classificada como rinite não alérgica ou alérgica, propriamente dita, a rinite também varia conforme a duração dos seus sintomas. Uma rinite aguda é quando os sintomas duram menos de quatro dias, enquanto a crônica é quando o quadro inflamatório e seus sinais associados duram por mais de doze semanas.

Nesses casos, é necessário investigar a causa da doença e avaliar todos os sinais e os sintomas que o paciente apresenta. Assim, estabelecemos um plano de tratamento que visa combater os sintomas isoladamente e garantir o bem-estar do paciente e uma melhora em seu quadro.

 

Rinite não alérgica: Possíveis Causas

A rinite não alérgica é provocada por um processo inflamatório extremamente complexo na mucosa presente no nariz. Dessa forma, observamos diferentes mudanças presentes na função nasal, provocados pelo nosso organismo como uma resposta muita das vezes exagerada, a vários estímulos que podem ser internos ou externos.

Dentre as causas da rinite não alérgica, podemos citar certos agentes que são infecciosos ou irritantes, como o ar gelado, cheiros muito fortes, exercícios físicos ou certos medicamentos como causas externas da doença. Entretanto, nada que seja alérgico e que provoque este quadro ao paciente.

Já no quadro de causas internas, podemos ter como exemplos alguns grupos alimentares, hormônios, células responsáveis pelo processo inflamatório, mediadores químicos da própria inflamação e o nosso próprio sistema nervoso.

 

Rinite não alérgica – Sintomas

Independente do tipo de rinite, sendo ela alérgica, não alérgica, aguda ou crônica, os sintomas são bem semelhantes e conversam entre si, o que diferencia, de fato, é a intensidade de alguns deles em relação ao tipo. Por exemplo, a coceira presente no nariz e nos olhos são menos comuns na rinite não alérgica, enquanto na alérgica está presente desde o seu estágio agudo.

Os sintomas da rinite não alérgica são: o congestionamento nasal, provocado pela inflamação da mucosa nasal e pelo enchimento dos vasos, corrimento de muco nasal, espirros provocados por reflexos do sistema nervoso pela irritação da inflamação, e a coceira no nariz, como resposta da irritação provocada pelo agente interno ou externo.

Esses sinais e sintomas podem ocorrer ocasionalmente em qualquer indivíduo que tenha a doença, e são eles e sua gravidade que irão determinar qual será a conduta terapêutica a ser tomada na situação, para aliviar todos os sintomas e sua necessidade.

 

Epidemiologia

Atualmente, não temos uma grande variedade de estudos científicos que demonstrem com certeza a epidemiologia da rinite não alérgica. De fato, há uma zona sem explicação que se localiza entre o que é fisiológico e o que chega a ser considerado doença.

Porém, segundo o que sabemos, a rinite não alérgica é uma doença que começa a se desenvolver e a manifestar todos os seus sintomas durante a fase adulta da vida. Enquanto isso, a rinite alérgica inicia-se e se manifesta na infância.

 

Rinite não alérgica: Classificação

A rinite não alérgica pode ser classificada, por uma questão metodológica para ensino e avaliação dos sintomas, em infecciosas e em não infecciosas. Nas infecciosas, encontramos a rinite provocada por síndrome gripal, a bacteriana e ou rinite específica provocada por algum tipo de agente, seja ele tuberculose, sífilis, dentre outros.

Já as rinites não infecciosas são provocadas por medicamentos, doenças granulomatosas, por hormônios ou outras síndromes que podem acometer o indivíduo. Aqui, apenas por questão de curiosidade, iremos abordar a respeito das principais consoante a sua epidemiologia.

A rinite não alérgica de síndrome gripal é provocada pelos mesmos vírus que causam gripe ou resfriado, que tem como fatores principais a umidade do ar, a poluição ou o frio. É contagiosa e seu contágio se dá por meio de partículas no ar, transmitidas pelas gotículas dos espirros ou tosses de alguém que está com a doença.

Já a rinite bacteriana é provocada por uma infecção de grupos específicos de bactérias, bem comum após uma gripe ou um quadro viral provocado por sarampo ou pela rubéola. Seus principais sintomas são a obstrução nasal e a presença de bastante muco no nariz, frequentemente associada ao quadro de sinusite.

Outra forma comum de rinite não alérgica é a medicamentosa, ou seja, aquela provocada pelo uso constante de certos medicamentos. O principal deles é o descongestionante nasal – seu uso em excesso pode provocar edema da mucosa nasal e consequente congestão. Outros tipos de medicamentos e substâncias estão associados, como contraceptivos, anti-hipertensivos, álcool e tabaco.

Por último, certas condições hormonais ou patológicas podem provocar também rinite não alérgica, como por exemplo, a flutuação de hormônios comum durante a gravidez, no hipotireoidismo ou até mesmo na presença de diabetes mellitus.

 

Como tratar da Rinite

Tratar da rinite é algo apenas sintomático, ou seja, os medicamentos utilizados e as medidas tomadas são conforme os sintomas. Além de repouso e bastante líquido, recomenda-se o uso de anti-inflamatórios não-esteroidais, como o Ibuprofeno ou o Paracetamol e Vitamina C.

Além disso, utiliza-se também descongestionante nasal para tratar a obstrução das narinas e chás para melhorar a secreção nasal. O importante de tratar  da rinite é com relação a todos os sintomas presentes, repousar e se hidratar bastante para melhorar o mais rápido possível!

Por fim, a rinite não alérgica é uma doença que afeta milhares de pessoas da população. Saber identificar o seu tipo, assim como os seus sinais, sintomas e tratar dos mesmos é essencial para garantir uma recuperação rápida e saudável. Observou algum desses sintomas recentemente? Procure um médico e se cuide!

 

Veja mais em nosso Blog!

Conheça nossos produtos em nosso site Nutrilife Caps!

NutriLife Caps
NutriLife Caps

Alcance o ápice da sua saúde através de nossos
SuperAlimentos Premiums

Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.